Como proceder em uma Convulsão

Segundo dados da OMS, até 10% da população mundial tem ao menos uma convulsão durante toda sua vida.

Ela é caracterizada como um fenômeno eletrofisiológico anormal e temporário que ocorre no cérebro associado a abalos musculares.
É bom lembrar que convulsão não é sinônimo de epilepsia, pois pode ter várias causas incluindo derrame, tumor cerebral, intoxicação por álcool, etc…

Como proceder quando nos deparamos com alguém convulsionando?

Bem, primeiro esqueça uma crendice popular. Nunca tente abrir a boca de alguém que esteja tendo uma convulsão. O masseter que é o músculo da mandíbula é um dos mais fortes que temos. Caso você coloque seu dedo entre os dentes do paciente e ele tenha uma contração muscular forte, poderá arrancá-lo. Se colocar algum material metálico como uma colher, por exemplo, poderá quebrar seus dentes. A orientação é virar a pessoa de lado para que ela não aspire a saliva. Esta posição evita que a língua obstrua a passagem do ar. A língua não enrola sobre ela mesma durante a crise. Isto é anatomicamente impossível. Tente engolir sua língua. Vê se consegue.

A coloração arroxeada é resultado da forte contração dos músculos respiratórios e em alguns casos a pessoa pode emitir um grito como resultado desta contração da musculatura.

Outra medida importante é tirar a pessoa do perigo. Coloque-a no chão. Mantenha-a afastada de objetos cortantes e móveis, e, se possível, retire colares e óculos e proteja sua cabeça com uma almofada ou algo macio. Afrouxe suas roupas.

As crises em geral duram cerca de 2 minutos, mas podem durar até 5 minutos. Se o tempo for superior acione socorro ou leve a pessoa até um hospital. A crise convulsiva é um sintoma de uma condição neurológica aguda ou de uma epilepsia e deve ser abordada com urgência médica em quem nunca a teve.

Quando a crise termina, é normal haver sonolência, dor de cabeça e confusão mental. Isto pode durar de uma a duas horas.