Doença de Parkinson

A doença de Parkinson foi descrita inicialmente em 1817 pelo médico inglês James Parkinson nascido em 1755.

É uma doença neurológica progressiva devido à disfunção dopaminérgica decorrente de múltiplos fatores incluindo as causas genéticas.

A idade constitui um dos principais fatores de risco. A prevalência na população vai de 100 a 150 casos por 100.000 habitantes. Em pessoas com mais de 65 anos de idade, a incidência é de 1%, aumentando para 3% no grupo acima de 80 anos. Tem seu início geralmente na quinta década de vida, apesar de existir formas de inicio precoce, antes dos quarenta anos.  Devemos ficar atentos, pois a confirmação do diagnóstico pode levar muitos meses e até anos após o aparecimento dos primeiros sintomas. O principal deles é a lentidão dos movimentos, tremor de repouso, rigidez e perda de equilíbrio. O paciente movimenta menos os membros superiores durante o caminhar, caracterizando a marcha em bloco. Estes sinais geralmente têm progressão lenta. Podem preceder a estes sintomas constipação, diminuição do olfato e distúrbios do sono. Os exames subsidiários não mostram sinais característicos que possam definir se um paciente tem a doença, servem apenas para excluir outras patologias. Mesmo neurologistas experientes algumas vezes tem que rever o diagnóstico após um tempo, pois há muitas doenças com sintomas iniciais similares. Nos anos 90 houve grande progresso no tratamento cirúrgico da DP, mas o tratamento ainda é essencialmente clínico.